Galo será julgado por problemas no clássico contra o Cruzeiro

atlético clássico cruzeiro
Clássico ocorreu no último dia 6 de março e foi vencido pelo Galo (Pedro Souza/Atlético)

O Galo será julgado nesta terça-feira (22) no Tribunal de Justiça Desportiva de Minas Gerais (TJD-MG), na Federação Mineira de Futebol, por ocorrências em dois jogos diferentes do Campeonato Mineiro. Os julgamentos envolvem a expulsão do atacante Fábio Gomes no último duelo, contra o Democrata, além de incidentes acontecidos no jogo contra o Cruzeiro, no Mineirão. As sessões no local começam às 19h.

Clássico

A procuradoria do TJD-MG denunciou o time alvinegro em dois artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva por ações acontecidas no duelo contra o Cruzeiro, no último dia 6 de março. Os artigos 213 – item III e 191 – item I discorrem sobre “lançamento de objetos no campo de jogo” e “deixar de cumprir obrigação legal”. Porém, os atos do clássico que motivaram o julgamento não foram detalhados na denúncia.

Na súmula, o árbitro relatou algumas ocorrências, como o uso de sinalizadores na torcida do Atlético e isqueiros jogados pela torcida do Cruzeiro em direção aos jogadores adversários. Como foi mandante e responsável pela segurança no evento, o time alvinegro responderá pelos incidentes.

Ocorrências escritas na súmula do clássico (Reprodução/FMF)

Possíveis punições

Além do risco de perda de mando de campo de 1 a 10 jogos, o Atlético pode sofrer penas financeiras no valor de R$ 100 a R$ 100 mil. Para isso, o time teria de ser decretado o responsável direto pelos acontecimentos, caso eles tiverem sido de grave risco para o jogo – o que não é visto como provável.

Fábio Gomes

O atacante Fábio Gomes recebeu cartão vermelho direto no último jogo, contra o Democrata. Ele se desentendeu com o zagueiro Rafael Caldeira, que também foi expulso na hora.

De acordo com a súmula do duelo, “o jogador expulso trocou empurrões e socos com seu adversário, fora da disputa de bola. Após a sua expulsão, teve que ser contido pelos seus companheiros de equipe”. A mesma descrição corresponde a Fábio Gomes e Rafael Caldeira.

O atleta foi enquadrado no artigo 254-A, I, que consta: “Desferir dolosamente soco, cotovelada, cabeçada ou golpes similares em outrem, de forma contundente ou assumindo o risco de causar dano ou lesão ao atingido”. Segundo o Código, a pena varia de 4 a 12 partidas de suspensão.

Galo venceu o jogo contra o Democrata por 1 a 0 (Pedro Souza/Atlético)

Cruzeiro denunciado

O Cruzeiro também foi denunciado por problemas no clássico: serão réus o técnico Paulo Pezzolano e o auxiliar Matías Filippini Prieto. Segundo relatado na súmula, eles proferiram ofensas ao juiz da partida. A arbitragem foi bastante criticada pelo Cruzeiro, após a marcação de um pênalti polêmico para o Atlético quando a Raposa estava vencendo por 1 a 0.

Paulo Pezzolano e Matías Filippini durante treino do clube celeste (Gustavo Aleixo/Cruzeiro)
Edição: Roberth R Costa
Beatriz Kalil Othero[email protected]

Jornalista formada pela UFMG, escreve para o BHAZ desde 2020, e atualmente, é redatora e fotógrafa do Portal. Participou de reportagens premiadas pela CDL/BH em 2021 e 2022, e pela Rede de Rádios Universitárias do Brasil em 2020.

SIGA O BHAZ NO INSTAGRAM!

O BHAZ está com uma conta nova no Instagram.

Vem seguir a gente e saber tudo o que rola em BH!