Jovem é vítima de estupro coletivo, depois tem cabeça raspada, é espancada e humilhada por multidão

vítima de estupro coletivo na Índia
Segundo autoridades, o suicídio de um suposto admirador teria motivado o crime (Reprodução/@SwatiJaiHind/Twitter)

Uma mulher vítima de estupro coletivo sofreu agressões e foi publicamente humilhada na cidade de Delhi, na Índia. Imagens que circulam nas redes sociais mostram a moça no meio de uma multidão, onde pessoas gritam e a espancam ao som de aplausos. Segundo o jornal local NDTV, quatro mulheres foram presas depois que o vídeo viralizou.

Nas redes sociais, a Chefe da Comissão para Mulheres de Delhi, Swati Maliwal, fez publicação em que exigiu providências sobre o episódio. No tuíte que atingiu mais de 11 mil curtidas, ela disparou: “Uma garota de 20 anos foi estuprada por vendedores ilegais de bebidas em Kasturba Nagar [em Shahdara]. Sua cabeça foi raspada e colocaram tinta preta em seu rosto. Então ela teve que desfilar nas ruas usando guirlandas de chinelo. Estou notificando a polícia de Delhi”, publicou.

A mulher ainda clamou por Justiça para que “todos os homens e mulheres acusados sejam presos e a menina e sua família recebam segurança”, escreveu, compartilhando o vídeo que mostra a jovem sendo publicamente humilhada.

Vizinhas incentivaram estupro

Ainda de acordo com a representante da Comissão, ela se encontrou com a sobrevivente do estupro coletivo e a jovem revelou que foi tirada de casa no momento do crime. Então, foi violentada por um grupo de três homens, supostamente envolvidos em transações ilegais de licor e drogas na região.

“Enquanto eles a estupravam, as mulheres ali presentes os instigavam a continuar. Ela informou ainda que os homens a espancaram brutalmente, rasparam sua cabeça, enegreceram seu rosto e a fizeram andar pelo bairro com uma guirlanda de chinelos e sapatos”, disse um comunicado do órgão. Ao que tudo indica, a polícia municipal recebeu 72 horas para enviar um relatório detalhado de ação tomada à Comissão, além de imagens de todo o incidente.

De acordo com a irmã da vítima de estupro coletivo, um garoto que residia na vizinhança e dizia estar apaixonado pela mulher cometeu suicídio em novembro do ano passado. A família dele culparia a jovem pela morte do homem, uma vez que ela recusou suas investidas românticas.

As investigações sobre o caso seguem ativas. Autoridades afirmam que a vítima, que é mãe de uma criança, está em condições estáveis e sendo tratada em um hospital.

Edição: Vitor Fernandes
Nicole Vasquesnicole.vasques@bhaz.com.br

Graduanda em Jornalismo pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2022.

Comentários