Zoológico provoca revolta ao forçar filhote de macaco a tragar cigarro como ‘campanha antitabagismo’

macaco fumando na china
Bebê macaco aparece fumando na filmagem (Reprodução/Redes Sociais)

Um zoológico foi atacado após um vídeo que mostra um filhote de macaco fumando cigarro viralizar no app chinês Douyin. O caso aconteceu no Parque de Vida Selvagem de Hengshui, na província de Hebei, no norte da China. Segundo o zoológico, as imagens tinham sido postadas para aumentar a conscientização contra o fumo. As informações são do jornal britânico Daily Star.

No vídeo, o macaco aparece fumando um cigarro. Segundos depois, uma mulher atrás da câmera remove o cigarro, e o filhote começa a apresentar reações estranhas. Logo em seguida, ele cai do pequeno banco em que estava sentado, atingindo o chão. A mulher coloca uma toalha fina sobre Banjin, como é conhecido no zoológico, que parece vidrado enquanto olha fixamente para a sala.

Um texto sobreposto dizia: “Opa, está afetando ele. Fumar faz mal à saúde”. A equipe do zoológico explicou que o vídeo tinha objetivo de servir como uma “campanha antitabagismo”, mas a publicação gerou indignação generalizada e a equipe retirou o vídeo. O Parque da Vida Selvagem de Hengshui ainda disse que os macacos em cativeiro “geralmente” não fumam.

Reações

Os telespectadores ficaram furiosos com as imagens, alegando maus-tratos de animais. Um internauta escreveu: “Ele caiu de costas como se estivesse tonto e doente”. “Um zoológico deveria saber melhor do que fazer isso”, disse outro. “Eles deveriam se preocupar com os animais”, observou mais um.

Um porta-voz da unidade de proteção da vida selvagem na Autoridade de Recursos Naturais e Planejamento de Hengshui se pronunciou sobre o caso. “Existem regulamentações nacionais relacionadas ao uso de animais selvagens para fins de exibição e nenhuma crueldade com os animais selvagens é permitida”, disse, e ainda completou: “O zoológico tem a permissão administrativa necessária para a exibição”.

Em relação à crueldade, porém, o porta-voz reforçou a proibição ao zoológico. “Informamos ao zoológico que a crueldade contra os animais é estritamente proibida”.

Edição: Vitor Fernandes

Comentários