Caso suspeito de ‘vaca louca’ em Minas preocupa governo; Ministério da Agricultura monitora

Vaca
Caso suspeito teria sido identificado em um frigorífico de BH (FOTO ILUSTRATIVA: Arquivo/Agência Brasil)

Um caso suspeito de “vaca louca” em Minas Gerais preocupa o governo estadual, conforme declaração do governador Romeu Zema (Novo) nesta quinta-feira (2). O caso está sendo monitorado pelo Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e o chefe do Executivo estadual garante que medidas serão tomadas para que, caso confirmada, a doença não se espalhe.

“Estamos tomando todas as medidas necessárias em conjunto com o Ministério da Agricultura. É uma preocupação muito grande, todo o Brasil depende de exportação de proteína animal. Um fato como esse pode atrapalhar, prejudicar muito esses negócios”, disse Zema em entrevista à rádio CBN.

“Então, é um acompanhamento, estaremos tomando todas as medidas para que, se confirmada, essa ocorrência ela fique restrita a onde aconteceu”, completou o governador.

Por meio de nota enviada ao BHAZ, o Mapa garantiu que adota os procedimentos de vigilância recomendados pela a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). “Casos em investigação são corriqueiros dentro dos procedimentos de vigilância estabelecidos e medidas preventivas são adotadas imediatamente para garantir o controle sanitário”, informou o ministério.

Suspeita de ‘vaca louca’

De acordo com o UOL, o caso suspeito teria sido identificado em um frigorífico de Belo Horizonte em junho deste ano, quando o animal começou a apresentar sintomas da doença. Depois disso, um primeiro teste teria dado positivo para a “vaca louca” e um segundo, negativo.

Já à Reuters, uma fonte anônima ligada à indústria bovina disse que a suspeita teria sido identificada em um animal mais velho. A situação seria semelhante a uma registrada em 2019, no Mato Grosso, que se tratava de um caso atípico. “A vaca louca é uma doença que pode surgir de forma espontânea e bem isolada. É considerado caso atípico quando não há contaminação”, disse a fonte à agência de notícias.

Nota do Mapa

“Como membro da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), o Brasil adota os procedimentos de vigilância, investigação e notificações recomendadas pela instituição. Casos em investigação são corriqueiros dentro dos procedimentos de vigilância estabelecidos e medidas preventivas são adotadas imediatamente para garantir o controle sanitário. Uma vez concluído o processo em investigação, os resultados serão informados”.

Edição: Roberth Costa
Sofia Leão
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde 2019 e graduanda em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Participou de reportagem premiada pela CDL/BH e pelo Prêmio Sebrae de Jornalismo em 2021, além de figurar entre os finalistas do Prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados.

Comentários