Polícia prende homem suspeito de estupros em série em Uberlândia

Homem é suspeito de atacar cinco vítimas
Homem é suspeito de atacar cinco vítimas (Amanda Dias/BHAZ)

A Polícia Civil de Minas Gerais prendeu um homem de 32 anos, investigado por uma série de estupros em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, nessa terça-feira (21). No momento da prisão, o suspeito tentou fugir, mas foi pego enquanto se escondia no teto de uma igreja, no bairro Shopping Park. A equipe da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) cumpriu o mandato de prisão.

Segundo as delegadas Lia Valechi e Ludmila Carneiro, responsáveis pelas investigações, o homem negou as acusações. Porém, as provas recolhidas durante o trabalho de apuração apontam que ele teria cometido os crimes. O homem vinha agindo na cidade desde o início do ano e é suspeito de quatro estupros e uma tentativa.

De acordo com o apurado na investigação, os crimes iniciaram em janeiro, quando a vítima de estupro tentado, uma mulher de 19 anos, foi atacada no bairro Shopping Park. A segunda investida foi em fevereiro, no bairro Gávea, ocasião em que uma jovem, também de 19 anos, foi atacada em frente a um shopping. O terceiro caso, ainda em fevereiro, ocorreu no bairro Novo Mundo, contra uma mulher de 29 anos.

As autoridades relatam que o suspeito sempre agia com violência e ameaças. Em abril, ele voltou a atacar, no bairro Shopping Park, sendo a vítima uma jovem de 18 anos. A última ação criminosa foi em maio, no bairro Novo Mundo, vitimando uma mulher, de 23.

Investigação

A Polícia Civil investigava o fato desde a primeira ocorrência. Com a sequência dos crimes, foi criado um serviço de inteligência e apuração, visando a prisão do suspeito. Com base nos depoimentos das vítimas e na coleta de materiais genéticos, foi possível chegar ao homem preso, que trabalhava como serviços gerais. Nos últimos dias, após identificá-lo e reunir provas suficientes contra o investigado, a equipe da Deam representou à Justiça pela prisão preventiva dele.

Segundo a delegada Lia Valechi, todo empenho foi feito para identificar e prender o investigado. “Ele está preso e vai responder pelos crimes que cometeu”, ressalta. O suspeito já havia sido condenado por estupro em 2016. Valechi destaca que o trabalho investigativo da equipe, aliado às provas periciais, especialmente o exame de material genético, possibilitaram o êxito na apuração e consequentemente a prisão. O suspeito foi encaminhado ao sistema prisional e está à disposição da Justiça.

Edição: Roberth Costa
Giulia Di Napoligiulia.di.napoli@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários