Pesquisar
Close this search box.

Presidente da Galoucura oferece ajuda a Lula para dispersar golpistas em Brasília

Por

presidente galoucura
Josias se ofereceu para convocar integrantes da torcida organizada e ir até Brasília (Reprodução/Instagram + Reprodução/Metrópoles)

O presidente da maior torcida organizada do Atlético, a Galoucura, ofereceu ajuda ao presidente Lula (PT) para dispersar golpistas em Brasília após os ataques terroristas desse domingo (8). Em vídeo nas redes sociais, Josimar Júnior se referiu aos bolsonaristas radicais como “zé povinho” e disse que acionaria a “Tropa do fura-bloqueio”.

“E aí, meu presidente. Não é jogo do Galo, não, mas se você ligar para nós aí, a tropa vai avançar. A direção é uma só: Brasília”, disse Josimar no perfil que mantém no Instagram.

“Liga, liga, meu presidente, que a tropa já vai ser convocada. É a ‘Tropa do fura-bloqueio’ em ação novamente. Não é jogo do Galo, não, mas, pela democracia do nosso país, pode ligar que a tropa avança”, continuou.

Bloqueios em novembro

O líder, conhecido por Josias, recordou um episódio protagonizado pela Galoucura em novembro. Integrantes do grupo furaram o bloqueio feito por caminhoneiros bolsonaristas na BR-381, a Fernão Dias, que liga Belo Horizonte a São Paulo. O protesto foi um dos primeiros contra o resultado das eleições presidenciais.

“Ninguém impede nós de ver o Galo não”, diz um membro da torcida em vídeo compartilhado na web. “Pode passar todo mundo, tamo junto”, continua ele, sinalizando para que caminhoneiros parados na BR-381 seguissem viagem. Assista a alguns registros:

Terrorismo na Praça dos Três Poderes

O post de Josias repercutiu nas redes sociais em meio à indignação acerca da invasão golpista à Praça dos Três Poderes ontem. Bolsonaristas radicais lideraram uma escala de violência e destruição do patrimônio público no Congresso Nacional, Palácio do Planalto e no STF (Supremo Tribunal Federal).

Imagens, amplamente divulgadas, mostram janelas, móveis e paredes dos prédios sendo depredados pelos extremistas. Os vídeos ainda flagraram policiais militares, que praticamente escoltaram os bolsonaristas ao local do crime, conversando com os golpistas e filmando passivamente enquanto uma multidão invadia os prédios.

Nesta madrugada (9), o ministro Alexandre de Moraes, do STF, afastou do cargo, por 90 dias, o governador do Distrito Federal (DF), Ibaneis Rocha. A vice Celina Leão (PP) assumirá durante esse período.

Na decisão, Moraes cita descaso e omissão por parte do governador e do então secretário de Segurança do DF, Anderson Torres, exonerado, na tarde de ontem, após a invasão golpista. Os dois também serão incluídos no inquérito que investiga atos antidemocráticos no Brasil (leia mais aqui).

Moraes determinou que a desocupação dos acampamentos em frente ao Quartel do Exército de Brasília e em “outras unidades militares para a prática de atos antidemocráticos”, deverá ocorrer em até 24 horas.

Ela fica a cargo das polícias militares dos estados e Distrito Federal, com apoio da Força Nacional e, se necessário, da Polícia Federal.

Os governadores serão intimados para garantir o cumprimento da decisão sob pena de responsabilidade pessoal.

Intervenção federal

No final da tarde desse domingo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva decretou intervenção federal na Segurança o DF diante da invasão de golpistas na Praça dos Três Poderes. O decreto presidencial vale de hoje até, pelo menos, 31 de janeiro de 2023.

O interventor nomeado é Ricardo Cappelli, secretário-executivo do Ministério da Justiça.

O anúncio foi feito em coletiva de imprensa, na qual o presidente afirmou que todos os envolvidos nos atos criminosos em Brasília serão encontrados e punidos. Ele se referiu aos invasores como fascistas.

Nicole Vasques

Jornalista formada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), escreve para o BHAZ desde 2021. Participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2022.

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ