Mãe de criança de 5 anos jogada em rio pelo pai cria vaquinha para custear o enterro da filha

criança ponte nova
Até o momento, o Corpo de Bombeiros não localizou o corpo da criança ou do pai, que também teria se atirado nas águas (CBMMG/Divulgação)

A mãe de uma menina de cinco anos, que foi jogada em um rio de Ponte Nova, pelo próprio pai, no último sábado (5), criou uma vaquinha online para arcar com o enterro da filha. Até o momento, o Corpo de Bombeiros não localizou o corpo da criança ou do homem, que também teria se atirado nas águas. Na página de arrecadação, Natacha Matias lamentou a perda.

“Os bombeiros estão procurando o corpinho, mas não acharam ainda… Não vamos nem sequer poder despedir do meu anjinho. Estamos todos mortos por dentro! Não estávamos preparados para tamanha perda!”, escreveu ela.

“Venho pedir a ajuda de quem puder doar qualquer valor para conseguirmos proporcionar para ela um enterro digno para que eu possa despedir da minha filha e acalmar meu coração. Preciso dar a minha princesinha um lugar digno para que possamos saber onde ela vai estar”, acrescentou.

Para contribuir, basta acessar o link da campanha e doar qualquer valor. Até o momento, já foram doados R$ 3,8 mil à família da criança.

Buscas continuam

No último sábado, um homem de 26 anos espancou a filha de 5 anos e a jogou no rio Piranga, em Ponte Nova, na Zona da Mata mineira. Após cometer o crime, ele também pulou nas águas (veja aqui).

À Polícia Militar, um casal que estava em uma lanchonete próxima ao local disse que o homem espancou e pulou no rio com a criança, que aparentava estar desmaiada. Os familiares da mãe da criança estavam cuidando da garota no sábado, quando o pai chegou e pediu para acompanhá-los em um passeio.

Juntos, todos andaram no “carretão” da cidade. Após a atividade, o homem chamou a criança e disse que iria levá-la para comer na lanchonete da avó paterna. “Papai vai deixar você usar o telefone”, disse ele, para atrair a garota.

Após o crime, a mãe esteve no local e precisou de atendimento médico. Ela teve uma queda de pressão, com a emoção após saber da notícia. Desde então, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Civil tem atuado nas buscas.

Edição: Giovanna Fávero
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Graduada em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e repórter do BHAZ desde 2021. Vencedora do 13° Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, idealizado pelo Instituto Vladimir Herzog.

Comentários