Vira-lata Lolla é localizada 20 dias após desaparecer em BH e recompensa de R$ 10 mil cai em boas mãos

Lolla
Parte da recompensa vai ajudar no tratamento de câncer de mulher que encontrou Lolla (Renata Xavier/Arquivo Pessoal)

A vira-lata Lolla foi encontrada na noite de ontem (18) após passar 21 dias desaparecida em Belo Horizonte. A busca pela cadelinha caramelo mobilizou muita gente na capital mineira, e até fora dela. Como resultado, a procura pela pet teve um final feliz, incluindo o pagamento de uma recompensa de R$ 10 mil. Depois de ser localizada em um lote vago no bairro Fernão Dias, região Nordeste, Lolla já esta reunida com a família dela.

A empresária Renata Xavier, tutora de Lolla, conta que a primeira informação que levou ao reencontro veio de uma ex-colega de trabalho do marido, por conta de uma coincidência. “No domingo, ela estava levando a prima dela em casa, quando errou uma rua no trajeto. Nesse momento, ela viu uma cachorra e percebeu que parecia com a Lolla. Ela já ligou para o Caio [meu marido] na hora”, relata.

Ao saber da possibilidade de Lolla ter sido vista pela região, a mulher que a avistou também espalhou a informação para outros moradores. No mesmo dia, alguns tentaram procurá-la, mas sem sucesso. Somente na noite de segunda-feira, um grupo localizou uma cadela que parecia Lolla em um lote vago, no Fernão Dias.

O reencontro

Renata e o marido foram até o local, mas a cadelinha não respondeu aos chamados dos tutores. “Ela estava tremendo, desesperada. Quando o Caio foi chegando perto, ela veio andando e começou a chorar. Ele conseguiu pegar ela no colo e levar para dentro do carro, aí teve certeza que era ela. Ela começou a chorar muito alto, parecia que estava querendo conversar com ele”, relembra Renata.

Na manhã desta terça-feira (19), a empresária levou Lolla ao veterinário para checar o estado de saúde dela após o sumiço. “Ela está com desidratação, perdeu peso, tem alguns arranhões e dermatites pequenas, mas, não é nada de mais. Parece que ela está bem”, informa.

(Arquivo Pessoal/Renata Xavier)

Recompensa em boas mãos

Um dos principais recursos usados na busca pela cadelinha foi o anúncio de uma recompensa de R$ 10 mil para quem achasse Lolla. O valor será dividido entre cinco pessoas, que foram as responsáveis por encontrar a vira-lata caramelo. Renata revela que, para alguns deles, o dinheiro surgiu em boa hora.

“A mãe de uma delas está doente e ela estava com uma dívida na farmácia, que vai conseguir quitar. Um outro disse que vai conseguir comprar uma moto, para começar a trabalhar como entregador. Tem também uma que descobriu ontem mesmo um câncer de mama, ela já conversou com a gente sobre como o dinheiro vai ser bem-vindo”, exemplifica.

Corrente do bem

Apesar do longo período, as buscas por Lolla contaram com a participação ativa de milhares de pessoas na capital mineira. Entre compartilhamentos nas redes sociais e buscas ativas, Renata diz que recebeu muita ajuda durante a procura. “A gente ficou muito espantado e muito grato também. Tinha muita gente desconhecida compartilhando, pessoas de outra cidade falando que estavam torcendo por mim, rezando. Eram mais de 30, 40 mensagens por dia de gente ajudando”, relembra.

Agora que o pior passou, a empresária diz que é “só alegria” e que finalmente está “conseguindo dormir direito”, mas, a experiência deixou algumas lições. “Eu digo para as pessoas não desistirem, foi Deus mesmo. A coleira de identificação é muito importante. A nossa estava sem porque quebrou. É o nosso maior arrependimento, a gente não teria passado tanto perrengue”, conclui.

Edição: Roberth Costa
Guilherme Gurgelguilherme.gurgel@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco nas editorias de Cidades e Variedades no BHAZ.

Comentários