Em primeira coletiva, Ronaldo fala sobre Fábio, dívidas e futuro do Cruzeiro: ‘Muito animado’

ronaldo cruzeiro coletiva
Ronaldo chegou em Belo Horizonte nesta terça-feira (Rodrigo Sanches/Cruzeiro)

Dono de 90% da SAF Cruzeiro, o ex-jogador Ronaldo chegou a Belo Horizonte nesta terça-feira (11), conheceu a Toca da Raposa II e concedeu sua primeira entrevista coletiva no local. A saída de Fábio, o pagamento do transfer ban e outras dívidas, a necessidade do corte de gastos, a temporada 2022 e o cenário dos próximos anos foram os principais assuntos da conversa com a imprensa, que durou cerca de 30 minutos.

Impossibilitado de vir à capital mineira no aniversário do clube no último dia 2 em decorrência da infecção por Covid-19, o empresário precisou mudar os planos iniciais. Agora, busca recuperar o “tempo perdido” e fazer encontros presenciais importantes.

Fábio

A coletiva representou a primeira vez que Ronaldo falou sobre a situação de Fábio, que saiu do clube nos últimos dias após uma falta de acordo com a diretoria, que pegou a torcida (e os fãs de futebol como um todo) de surpresa. “O Fábio foi e vai ser sempre um ídolo para o Cruzeiro e para a torcida cruzeirense. Diante do cenário atual fizemos um esforço muito grande para fazer uma proposta decente para ele, respeitando a história e trajetória”, afirmou.

“Infelizmente, durante a negociação houve uma negativa por parte dele, o que também nos pegou de surpresa. Entendemos que todo o sacrifício que deveríamos ter feito foi feito. Temo que virar a página e seguir a diante”, alegou Ronaldo. Ele ainda disse que o Cruzeiro é maior que qualquer atleta e tem que ser protagonista.

Sobre o substituto do ídolo celeste, Ronaldo não deu muitos detalhes: “Nós estamos trabalhando com muitos nomes. O Pedro Martins, o Paulo André e o Pezzolano estão trabalhando dia e noite pensando no melhor para o clube. Com certeza encontraremos nomes que estão à altura do clube”.

‘Estado grave na UTI’

Segundo afirmou Ronaldo na coletiva, o clube mineiro está em uma situação muito séria e delicada: “O Cruzeiro tem que gastar apenas aquilo que arrecada. Infelizmente o cenário é bem complicado, com as receitas dos próximos dois anos antecipadas e gastas. Encontramos realmente um cenário trágico no clube. Temos que cuidar. Diria que o Cruzeiro é um paciente em estado grave na UTI”.

Ainda de acordo com o empresário, os planos de recuperação financeira já estão sendo formulados. “Estamos fazendo o tratamento necessário para que saio o mais rápido possível dessa condição para que façamos o Cruzeiro voltar a ser o clube grande que merece ser.”

Acesso é a maior meta

Desde a chegada do empresário, muito se fala que o primeiro desafio da gestão Ronaldo é equilibrar as contas, o que foi reforçado pelo ex-jogador na coletiva. “O que nós vamos buscar é sanear o clube e encontrar esse equilíbrio entre receita e custo. Vamos ter que buscar novas receitas para fazer que o clube funcione”, apresentou.

Mesmo com a prioridade no setor finaiceiro, o esportivo não ficará em segundo plano, de acordo com Ronaldo. “Estamos trabalhando muito para fazermos uma equipe bem competitiva, através do Pedro Martins, do Paulo André e do Pezzolano. Encontraremos jogadores que se encaixem na realidade atual do clube, mas que sejam competitivos para que possamos ter a possibilidade de voltar à Primeira Divisão, que é nosso objetivo”, projetou Ronaldo.

“Um clube da grandeza do Cruzeiro e da grandeza dos seus torcedores merece estar na elite do Campeonato Brasileiro e é esse objetivo que vamos buscar”, frisou.

‘Um ou dois anos’

Para tentar trazer mais realismo às circunstâncias, Ronaldo ressaltou que o processo de recuperação não será rápido, mas o ex-atleta está empolgado. “Posso adiantar que a situação é muito dura, muito difícil e que vamos precisar de um período longo de no mínimo um ou dois anos para encontrar certo equilíbrio no clube. De qualquer maneira, estou muito animado, sou um entusiasta que vamos montar um time competitivo para alcançar os objetivos esportivos desse ano”. 

Transfer ban

Acerca do pagamento do transfer ban, que impede o clube de registrar novos atletas, Ronaldo não deu muitos detalhes sobre que dia deste janeiro será sanada a primeira pendência, mas apresentou os valores atuais e futuros. “Não tenho aqui exatamente a programação do tranfer ban. São R$ 140 milhões para 2022 e 2023. Tem um parcelamento e temos a possibilidade de negociar. De imediato, para o fim de janeiro, temos uma obrigatoriedade de pagar R$ 23 milhões de reais. Nosso compromisso é cumprir com todas as dívidas que nos correspondem”, disse.

Ronaldo conhece as dependências da Toca II (Rodrigo Sanches/Cruzeiro)

‘Pior que eu imaginava’

Em relação ao tamanho da dívida do Cruzeiro, Ronaldo confessou que ficou assustado, mas está otimista: “Realmente ela é muito pior do que eu imagina. Mas, eu tenho certeza que com essa gestão eficiente, com um novo planejamento de marketing, com obviamente o apoio da nossa torcida, a gente vai conseguir receitas novas e o pagamento das dívidas e o prazo das próprias”.

Ronaldo também destacou na coletiva que ainda não há um plano concreto do aporte monetário que precisará ser feito, mas deixou um recado à torcida. “A gente ainda está descobrindo o tamanho do buraco que existe no clube. Não existe ainda um planejamento de aporte financeiro. Primeiramente estamos criando um novo modelo de gestão, a maior ajuda que podemos dar é criar esse padrão de gestão inteligente e sustentável. Essa é a principal mensagem para o nosso torcedor. Não gastaremos um centavo a mais do que arrecadaremos”, garantiu.

Corte de gastos

As contas do clube não fecham, conforme relatou Ronaldo. “Assim que anunciamos a compra da SAF, começamos a mergulhar no que era orçamento do clube para o ano. A primeira coisa que encontrei foi um orçamento de 90 milhões de reais com uma receita de 60 milhões, que já estava gasta. É uma conta que não bate, não entra na minha cabeça o funcionamento de um clube assim”.

Com isso, muitos contratos tiveram de ser renegociados. “Deixo aqui o meu agradecimento a esses atletas que aceitaram, entendendo a situação gravíssima do clube e decidiram permanecer. Nós conseguimos baixar o orçamento para 35 milhões, o que é quase 3 vezes menos. Ainda temos muita coisa para fazer, muitos cortes. É um momento de ações impopulares, mas que são necessárias para que o clube volte a ser grande como não deveria ter deixado de ser”, argumentou.

torcida cruzeiro sócio
Ronaldo ressaltou a necessidade do apoio da torcida do clube (André Araújo/Cruzeiro)

Ronaldo pode voltar atrás?

Quando perguntado na coletiva se poderia desistir da compra do clube, Ronaldo afirmou que não pensa na possibilidade. “Tecnicamente, sim. No contrato, há essa saída, mas está longe da minha cabeça desistir do projeto. No momento, estamos no processo de análise do clube, entender o tamanho da dívida. Tem muita coisa por entender ainda. Mas meu desejo é ficar até fazer com que o clube volte a ser grande como era antes”, assegurou o empresário.

Torcida

Ao final da coletiva, Ronaldo ressaltou que a torcida cruzeirense é a principal base do clube e apresentou o panorama do Sócio 5 Estrelas, que teve sua reformulação criticada por muitos torcedores. “[A torcida] É a nossa fundação e é para quem nós vamos fazer todo sacrífico para que o clube volte a ser grande e que o torcedor volte ao estádio, volte a fazer parte dos nosso programa de sócio. Nós encontramos o clube com apenas 10 mil sócios. É um número muito pequeno para a grandeza do Cruzeiro. Hoje, estamos com 15 mil”.

“Mas logicamente o torcedor espera uma reação nossa, e a reação chegou, a reação começou, a gestão eficiente vai ter resultado, obviamente contamos muito com o nosso torcedor para que a gente possa dar essa virada juntos. Sabemos que no início vamos encontrar dificuldades até um certo período de adaptação e quero pedir que esse torcedor nos dê esse voto de confiança, apoie nosso time, apoie nossa gestão porque só assim entendemos que vamos voltar a ser grande como eramos antes”, finalizou Ronaldo.

Na íntegra

Assista à coletiva completa, disponível no canal do Cruzeiro no YouTube:

Edição: Roberth Costa
Beatriz Kalil Otherobeatriz.othero@bhaz.com.br

Mineira de BH, graduanda em jornalismo pela UFMG e fascinada por futebol, dentro e fora das quatro linhas. Cobre esportes para o BHAZ. Participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2021 e de reportagens premiadas pela Rede de Rádios Universitárias do Brasil em 2020.

Comentários