Homem é preso após matar mãe com golpes de facão e enterrá-la em quintal de casa

idosa morta filho
Vítima foi enterrada no quintal de casa (Reprodução/Plox + PCMG/Divulgação)

Um homem de 48 anos foi preso após matar a própria mãe, de 78, com golpes de facão, em Santana do Paraíso, na região do Vale do Aço, em Minas Gerais. A vítima foi enrolada pelo filho em um lençol e enterrada no quintal de casa. O crime foi praticado na quinta (22) e vizinhos chamaram a polícia estranhando o sumiço da idosa. A prisão aconteceu ontem (23), depois do suspeito embarcar para uma viagem e descer em uma cidade.

A causa do crime, segundo a delegada Talita Martins, titular da Delegacia de Santana do Paraíso, foi um discordância entre os familiares por causa de uma mudança. “Ele alega que queria se mudar de cidade, pois tinha desentendimento com vizinhos. A mãe, segundo ele, não queria ir e os dois tinham desentendimentos frequentes”.

Os detalhes do crime foram repassados durante entrevista na manhã deste sábado (24). O homicídio, conforme informado pela delgada, aconteceu após o homem ter ido a uma consulta psiquiátrica. “Alegou que foram ao médico e, no fim do dia, a mãe estava deitada no quarto e ele deu dois golpes de facão no pescoço dela. Justificou que tinha ficado transtornado momentos antes do crime”, detalhou a delegada.

Enterro no quintal

O homem passou os detalhes de tudo que fez após matar a mãe. Conforme informado pela delegada, ele trocou de roupa, pois não queria se sujar de sangue, e abriu uma cova no quintal do imóvel onde os dois moravam.

“Depois de matar a mãe, ele deu uma volta de bicicleta no bairro. Assim que retornou, enrolou a mãe em um lençol e saiu arrastando-a até o quintal. Por lá, abriu uma cova rasa e enterrou a familiar. Limpou toda a casa, virou o colchão, trocou de roupa. Passado um momento, pegou uma mala e veio de bicicleta para Ipatinga”, disse Talita.

Buscas

O corpo da vítima foi encontrado ontem. Vizinhos chamaram a polícia pois deram falta da idosa, com quem mantinham contato diariamente. Eles também estranharam a saída do filho dela com a mala. Assim que a PM foi ao local e ficou sabendo que o suspeito havia fugido em uma bicicleta amarela, as buscas começaram.

As autoridades se mobilizaram na procura e, em contato com uma irmã dele, souberam que ele havia embarcado em um ônibus de Ipatinga com destino a Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira.

“A PRF (Polícia Rodoviária Federal) interceptou o ônibus em Rio Casca, mas os passageiros disseram que ele desembarcou em João Monlevade. Os policiais foram até a cidade e o encontraram na rodoviária. Num primeiro momento ele negou o crime, mas acabou confessando a autoria”, explicou a delegada.

bicicleta suspeito
Bicicleta utilizada pelo suspeito (PCMG/Divulgação)

Prisão

À polícia, o homem disse trabalhar como soldador, mas que há um ano está desempregado. Segundo a delegada, ele estava com um currículo e falou que queria se mudar, pois se desentendia com vizinhos: “Ele falou que expôs o órgão genital numa janela e depois disso passou a ter problemas com a vizinhança”.

A delegada também contou que o homem não demonstrou sentimento de culpa, mas que estava “arrependido”. “Queremos saber o real motivo do crime. Não sabemos o que passou na cabeça dele. O suspeito foi preso em flagrante ontem à noite e levado ao sistema prisional”, informou.

A polícia espera concluir a investigação assim que os laudos periciais forem concluídos. “O crime praticado é homicídio qualificado pela condição de violência doméstica e pela vítima ter acima de 60 anos. A pena é de até 30 anos de prisão podendo ter aumento de um terço à metade”.

Edição: Giovanna Fávero
Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política. Teve reportagens agraciadas pelo prêmio CDL.

Comentários