Dentista que se masturbou durante consulta em Minas admite ter feito ao menos 10 vítimas

Polícia Civil de Minas Gerais
Polícia Civil cumpriu mandado de prisão de quatro responsáveis pela clínica (Amanda Dias/BHAZ)

O dentista de 34 anos que foi preso por se masturbar em frente a uma adolescente, durante uma consulta odontológica, foi indiciado pela Polícia Civil. O homem teria praticado nove crimes de importunação sexual e dois crimes de satisfação de lascívia na presença de crianças e adolescentes menores de 14 anos, em Juiz de Fora, na Zona da Mata.

De acordo com a delegada Ione Barbosa, o suspeito admitiu ter feito pelo menos dez vítimas, entre crianças e adolescentes, em um intervalo de cinco anos. A Polícia Civil já ouviu 17 pessoas durante as investigações e o Conselho Tutelar, em parceria com a corporação, está entrevistando outras 18 meninas.

A investigação da PC foi concluída e o inquérito foi remetido à Justiça nesta quarta-feira (28).

Relembre

Vítimas e testemunhas procuraram a Polícia Civil para denunciar o dentista na última semana. Ele havia sido preso no dia 12 de julho por se masturbar em frente a uma adolescente, durante uma consulta odontológica. A Polícia Civil cumpriu, no dia 19, um novo mandado de prisão contra o homem, além de mandados de busca e apreensão.

O dentista havia sido preso em flagrante após uma jovem de 17 anos denunciar a importunação sexual. Durante investigações da Polícia Civil, outras vítimas procuraram a corporação para denunciar o mesmo homem. Ele chegou a ser autuado, mas acabou sendo solto.

“No momento em que elas tomaram conhecimento de que ele havia sido solto, ficaram com receio quanto a sua integridade física e com medo de denunciar. Então, requeremos a prisão preventiva dele, assim como mandados de busca e apreensão”, explicou a delegada Ione Barbosa.

Os mandados foram cumpridos por meio da operação “Sorriso Seguro”. O homem foi preso novamente na casa da mãe dele, e os mandados de busca e apreensão também foram cumpridos no local, além da própria casa do suspeito e do seu consultório odontológico. Os policiais apreenderam 600 fichas de atendimento, três notebooks, dois computadores, duas câmeras, uma filmadora e o celular do dentista.

Importunação sexual é crime

crime de importunação sexual se tornou lei em 2018 e é caracterizado pela realização de ato libidinoso na presença de alguém e sem sua anuência. O caso mais comum é o assédio sofrido por mulheres em meios de transporte coletivo, como ônibus e metrô.

Antes, isso era considerado apenas uma contravenção penal, com pena de multa. Agora, quem praticá-lo poderá pegar de um a 5 anos de prisão.

Edição: Giovanna Fávero
Sofia Leão
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.

Comentários