Libertadores: Galo começa com vantagem contra o Palmeiras, mas sofre empate

galo palmeiras libertadores
O Mineirão lotado recebeu o duelo da Libertadores (Pedro Souza/Atlético)

No primeiro jogo das quartas de final da Libertadores entre Galo e Palmeiras, deu empate. O time alvinegro começou vencendo por dois gols de vantagem, mas o alviverde buscou o empate no finalzinho do jogo e deixou a decisão aberta.

O duelo ocorreu nesta noite de quarta-feira (3) diante de 57.140 torcedores no Mineirão, em Belo Horizonte.

Os times decidem o classificado para a semifinal na quarta-feira (10), no Allianz Parque, em São Paulo. Agora, o time mineiro “vira a chave” para o Brasileirão e enfrenta o Athletico-PR neste domingo (7), no mesmo estádio.

Pré-jogo

Antes do jogo, a torcida ergueu o aguardado mosaico de luzes, balões e folhas. Com os escritos “Vamos meu Galo”, os atleticanos apoiaram o clube de um jeito diferente nas arquibancadas. Assista:

Respeito

Antes da bola rolar, os presentes fizeram um minuto de silêncio em memória da menina Bárbara Vitória, que desapareceu usando uma camisa do Atlético e foi encontrada morta ontem (2), em BH. O momento também lembrou o falecimento do jornalista Márcio Renato.

Galo tenta pressão

Logo no início da partida, o Galo tentou se impor e teve algumas chances de ataque. Aos 2 minutos, Zaracho tentou uma bicicleta, mas a bola bateu em Gómez e foi ao encontro das mãos de Weverton. Hulk chutou forte aos 7 e a bola subiu, levando perigo. O Palmeiras respondeu aos 10 com a cobrança de falta venenosa de Scarpa, que Weverton espalmou.

Que isso, Keno?!

Em pouco tempo, o atacante Keno, ex-Palmeiras, teve boas chances. Aos 14, ele recebeu de Hulk sozinho na área e chutou longe do gol. Após dois minutos, ele dominou na área e, frente a frente com o goleiro, também isolou. Quase que Keno fez um gol olímpico aos 27, mas o arqueiro palmeirense evitou.

Ufa

Quando o 1T caminhava para o final, o Palmeiras converteu sua primeira chance perigosa em gol, aos 39 minutos. Porém, Scarpa estava impedido na jogada e o placar voltou a ser 0 a 0.

Pênalti

Até que na marca dos 43, o árbitro marcou pênalti após toque de Marcos Rocha em Jair dentro da área. Hulk cobrou e afastou a “zica” do ano passado, quando perdeu a cobrança contra o próprio Palmeiras: bola no cantinho, sem chances para Weverton, que até caiu para o lado certo.

Com o 60º gol com a camisa alvinegra, o atacante se tornou o maior artilheiro da história do Atlético na Libertadores, com 12, superando o atleta .

Ampliou

Logo na volta para o 2T, o Galo ampliou a vantagem após boa jogada de Keno, que tabelou com Jair e cruzou para a área. O zagueiro palmeirense Murilo desviou na bola, que foi direto para o gol, para festa atleticana no Mineirão.

Diminuiu

O Palmeiras conseguiu diminuir no placar aos 13 após a cobrança de falta de Scarpa. A bola explodiu no travessão e voltou em Murilo, que desta vez, marcou a favor de seu clube: 2 a 1.

O alvinegro respondeu aos 21 com o chute de Hulk de fora da área, bem encaixado por Weverton. Por muito pouco, não veio o empate do Porco aos 37 do 2T, quando Scarpa cruzou para a área e Dudu mandou para fora, livre de marcação, para alívio da torcida atleticana.

No finalzinho…

O time paulista conseguiu o empate nos minutos finais, aos 46 minutos do 2T. Scarpa cobrou escanteio, a bola chegou em Dudu e ele mandou para Danilo. O volante não perdeu a chance de empurrar para as redes: 2 a 2, e decisão completamente aberta no jogo de volta na semana que vem.

Edição: Roberth Costa
Beatriz Kalil Otherobeatriz.othero@bhaz.com.br

Jornalista formada pela UFMG, é colaboradora do BHAZ desde 2020. Participou de reportagens premiadas pela CDL/BH em 2021 e 2022, e pela Rede de Rádios Universitárias do Brasil em 2020.

Comentários