Bombeiros encontram vítima de soterramento 3 dias após casas desabarem em Ouro Preto

Bombeiros encontram vítima de soterramento
Homem estava deitado na cama quando a casa foi soterrada (Corpo de Bombeiros/Divulgação)

O corpo de um homem que foi vítima de um soterramento em Ouro Preto, na região Central de Minas Gerais, foi encontrado pelo Corpo de Bombeiros no terceiro dia de buscas. A vítima morreu após duas casas desabarem na cidade.

A corporação foi acionada para a rua Mangabeiras, no bairro Santa Cruz, na tarde de sábado (8). De acordo com informações de testemunhas, um homem de 55 anos, chamado Geraldo, estava em um dos imóveis no momento do desabamento.

Os militares de Ouro Preto atuaram por três dias no local e, nessa segunda-feira (10), terceiro dia de buscas, o corpo do homem foi encontrado por volta do meio-dia. Segundo um dos bombeiros, Geraldo estava deitado na cama quando a casa foi soterrada.

Soterramento
Imóveis ficaram completamente soterrados (Corpo de Bombeiros/Divulgação)

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a ocorrência era complexa e havia risco de colapso de estruturas e corrimento de massa. Por isso, foi necessário realizar estudo do solo e avaliação dos riscos para atuação no local.

Chuvas causam estragos

O fim de semana de chuvas intensas em Minas Gerais causou diversas mortes, outros soterramentos e mais estragos, gerando insegurança pelo que ainda está por vir. A previsão é de mais chuva para os próximos dias. Pelas redes sociais, internautas pedem orações pelo estado, que vive uma situação crítica.

O governador Romeu Zema (Novo) decretou a criação de um comitê para combate às consequências da chuva. Ele também decretou luto oficial de três dias no estado por conta das tragédias do fim de semana.

Sábado

Na manhã de sábado (8), em Capitólio, no Sul de Minas, uma rocha gigante se desprendeu na Represa de Furnas atingindo lanchas que estavam no local. De acordo com o Corpo de Bombeiros, pelo menos 10 pessoas morreram na tragédia. O local segue interditado e as buscas por possíveis outros corpos continuam.

Também na mesma manhã, parte do sistema de drenagem da barragem da Mina Pau Branco da Vallourec transbordou em Nova Lima, na Grande BH. Devido ao alto volume de chuvas, um dique de contenção não suportou acabou transbordando.

A água com sedimentos tomou parte da rodovia. Trecho da BR-040 ficou completamente interditado no fim de semana, sendo uma pista liberada hoje.

ribeirão Arrudas transbordou com as fortes chuvas na tarde de sábado. A avenida Teresa Cristina ficou alagada e moradores ficaram ilhados nos arredores. A inundação aconteceu na altura do bairro Vila São Paulo, na região Oeste de BH.

Ainda no sábado, um deslizamento de terra bloqueou parte da Via Expressa em Contagem, na Grande BH. O fato aconteceu durante a tarde, próximo ao Terminal Petrolândia, onde parte da encosta caiu, atingindo um carro. Não houve vítimas, mas a via no sentido Betim precisou ficar interditada por um tempo.

Domingo

No domingo (9), parte de um prédio desabou no bairro Buritis, na região Oeste de Belo Horizonte, durante a manhã. Por precaução, a Defesa Civil orientou que todos os moradores deixassem o local, até que uma vistoria fosse feita.

O prédio está localizado na rua Ernani Agrícola, número 120. De acordo com o Corpo de Bombeiros, um morador do local acionou os militares informando que parte do prédio havia caído, mas sem registro de vítimas.

A Prefeitura de Pará de Minas e a Defesa Civil recomendaram, ontem, que os moradores da cidade, Pitangui e Onça de Pitangui, que moram abaixo da Usina do Carioca, deixem as casas imediatamente, pois há alto risco de rompimento da barragem. Em vídeo que circula pelas redes sociais, um bombeiro aparece explicando a situação.

Uma ponte pênsil cedeu parcialmente na cidade de Nova Era, região Central de Minas Gerais, ainda na tarde desse domingo. O nível do rio Piracicaba, que corta a cidade ao meio, acabou subindo e ultrapassando a “cota de alerta”. Segundo a prefeitura da cidade, o nível do rio continuava elevado nessa segunda-feira.

Moradores de Congonhas, na região Central do estado, também precisam lidar com uma ameaça que se faz mais presente no período chuvoso: o risco de rompimento da barragem Casa de Pedra, da CSN (Companhia Siderúrgica Nacional).

Edição: Roberth Costa
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde 2019 e graduanda em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Participou de reportagens premiadas pelo Prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados, pela CDL/BH e pelo Prêmio Sebrae de Jornalismo em 2021.

Comentários