Home NotíciasBHCoronavírus e a prostituição: Profissionais do sexo recebem ajuda em BH

Coronavírus e a prostituição: Profissionais do sexo recebem ajuda em BH

Em meio a pandemia do novo coronavírus e a exigência do isolamento social, profissionais do sexo, que atuam na região boêmia da capital, ficaram sem fonte de renda. Para amenizar os impactos na vida das moças, a Associação brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e a Cruz Vermelha de Minas Gerais optaram pela solidariedade.

As duas instituições doaram alimentos e materiais de higiene pessoal e de limpeza para um grupo de meninas que está hospedado em uma casa de Belo Horizonte. O imóvel foi cedido por uma pessoa, que não teve o nome divulgado, após o fechamento dos hotéis onde as mulheres trabalham. O endereço da residência também não foi disponibilizado. A casa comporta até 50 pessoas, mas, atualmente, 25 profissionais vivem no local.

“É uma situação muito complicada. Muitas moças não possuem sequer uma casa para onde ir. O trabalho como profissional do sexo é a única forma de sustento que elas possuem. Com o fechamento do hotéis, os efeitos negativos foram imediatos na vida dessas pessoas”, afirmou o presidente da Abrasel, Ricardo Rodrigues, que também é o diretor da Cruz Vermelha no Estado.

Agradecimento

Jade é uma das integrantes do grupo beneficiado. Com a voz pulsando de alegria, ela disse estar extremamente feliz com a ajuda que estão recebendo. “Sou do Ceará, mas moro em Belo Horizonte há 20 anos. Esse apoio é o que vai nos ajudar a passar por este momento ruim”, disse.

A cearense acrescentou que as moças chegaram ao novo endereço sem nada.”Não havia fogão, nem geladeira, nem colchão. Conseguimos tudo com o apoio das pessoas e também de alguns hotéis”, detalhou.

Doação de insumos ocorreu na manhã desta quinta, 26. (Jade/ arquivo pessoal)

Como ajudar?

As doações recebidas ainda são insuficientes para sanar todas as necessidades das mulheres. Elas ainda precisam de alguns itens como pão, leite, carne e ovos. Quem estiver disposto a ajudar, pode fazer levar os alimentos até a portaria do hotel Magnifico. O estabelecimento fica na rua Dos Guaicurus, no número 601, na região Central de BH.

“É melhor as pessoas deixaram no hotel. Eles entram em contato e nós buscamos. Precisamos resguardar o lugar em que estamos. Queremos que este lar se torne uma casa para o acolhimento de mulheres em situação de vulnerabilidade”, explica Jade.

De acordo com Ricardo Rodrigues, todas as mulheres estão de quarentena, já que tiveram contato com muitas pessoas nos últimos dias. “Mais um motivo para se evitar o contato”, finalizou.

Comentários